Caixa de Ferramentas – Análise SWOT – Forças, Oportunidades, Fraquezas, Ameaças

1. Jogo Rápido

1.1. O Que é?

Análise SWOT é um conjunto de indicadores que serve para mensurar qualquer coisa. Pode ser um produto, um serviço ou uma ideia.

A palavra é uma sigla em inglês:

  • Strenghts (Forças)
  • Weaknesses (Fraquezas)
  • Opportunities (Oportunidades)
  • Threats (Ameaças).

Na língua portuguesa, para facilitar o entendimento do que significa SWOT, algumas pessoas preferem lembrar-se da sigla FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas, Ameaças)

1.2. Indicado Para:

Todas as empresas que buscam estar atentas às mudanças do mercado e que buscam melhorar os seus resultados.

1.3. Serve Para:

Compreender as tendências do mercado e também para fazer uma análise completa de quais são os pontos fortes e fracos de uma empresa e quais quesitos que podem ser reformulados

1.4. É Útil Porque:

Induz o empreendedor a fazer uma análise de forma simples e eficaz de sua empresa.

2. Visão Ilustrada da Análise SWOT

3. Um Pouco Mais de Detalhes

Os grandes executivos de multinacionais não só conhecem essa técnica como a utilizam para aperfeiçoar seus modelos de gestão.

Essa é uma daquelas ferramentas clássicas. Não há curso de administração que não debata bastante sobre o assunto.

A Análise SWOT surgiu na década de 60 e não tem um criador definido.

O que se sabe é que a estratégia foi bastante desenvolvida na Universidade de Stanford, na Califórnia, Estados Unidos.

Na época foram estudadas as 500 maiores empresas dos Estados Unidos.

O modelo foi criado para ser utilizado em grandes corporações, no entanto também foi remodelado para ajudar o microempreendedor e pode ser usada como uma ferramenta de autoconhecimento para aqueles que estão na fase embrionária de seus empreendimentos.

Na prática o uso da ferramenta SWOT é bem simples.

São basicamente 4 quadros que formam um quadrante.

Em cada um dos quadros você colocará as informações referentes a cada uma das letras da sigla. De um lado ficam os pontos fortes e as oportunidades.

Do outro lado estão as fraquezas e as ameaças.

A maior dificuldade é conseguir compreender quais são realmente os pontos fortes e fracos de uma empresa.

Outra complicação é conseguir decifrar quais são as grandes oportunidades e quais as ameaças que podem acabar com o seu negócio.

3.1. Excesso de Otimismo

Muitos empreendedores são apaixonados por seus negócios e, portanto muitas vezes acabam sendo otimistas demais.

Esse tipo de empreendedor acaba supervalorizando os seus pontos fortes e acaba não dando a devida importância aos seus pontos fracos.

Com isso, ele perde a oportunidade de melhorar e crescer, pois é corrigindo suas falhas e melhorando ainda mais seus pontos que já são eficazes que uma empresa tende a conseguir sucesso.

3.2. Pontos Fortes (Strenghts)

Na hora de escrever quais são os pontos fortes da sua empresa você precisa validar essas informações.

Por isso não basta simplesmente escrever aquilo em que você acha que sua empresa é boa. É preciso ouvir a opinião de outras pessoas e é necessário ter números que possam comprovar tais qualidades.

Alguns exemplos de pontos que podem ser selecionados são: Uma marca conhecida e confiável, clientes fieis, público alvo com grande poder aquisitivo, baixos custos, uma logística eficiente, um atendimento de qualidade além de muitos outros pontos que podem ser citados.

Pense naquelas características que fazem a sua empresa ter uma vantagem competitiva com relação à concorrência.

3.3. Pontos Fracos (Weaknesses)

Uma parte que “dói” muito para os empreendedores é destacar os pontos fracos.

Por mais que muitos possam dizer que dentro do seu negocio não há muito que possa melhorar, toda empresa tem setores que podem ser mais eficientes ou algum ponto em que o desempenho não é congruente com o restante.

Apesar de ser uma parte difícil da análise SWOT, destacar os pontos fracos é fundamental porque só assim é possível melhorá-los.

Portanto, não tenha receios de colocar itens nessa lista. Se preferir você pode chamar as fraquezas de oportunidades de melhoria.

Um ponto fraco pode ser uma dificuldade de vender, uma margem pequena, um produto que possua muitas reclamações, dificuldade em fidelizar clientes, um alto custo de despesa fixa, entre outros.

3.4. Oportunidades (Opportunities)

Enxergar oportunidades é o que muitos empreendedores adoram fazer. Mas é preciso muito cuidado na hora de definir quais são as verdadeiras oportunidades.

Para isso o aconselhável ´e ter o respaldo de métricas ou pesquisas que confirmem a real necessidade do mercado.

Para agarrar uma oportunidade também é preciso muita clareza. Uma mudança de mercado, de produto ou até de estratégia pode ser algo muito arriscado.

Se não for bem planejada a mudança pode acabar representado um “passo maior do que a perna” e aquela linda ideia no papel pode se tornar apenas uma grande “dor de cabeça”.

Pode ser que o mercado ainda não esteja pronto para algum produto ou os custos sejam muito altos.

3.5. Ameaças (Threats)

Muitas grandes empresas acabaram perdendo grande fatia do mercado ou tiveram até mesmo que fechar as portas porque não estavam atentas as ameaças do mercado.

Essas ameaças podem ser um concorrente com o mesmo produto que o seu, mas com um preço mais barato ou então um produto inovador e disrupitvo que vai tornar a sua empresa obsoleta.

Para listar quais são as ameaças ao seu negocio é preciso vasculhar a concorrência e ao mesmo tempo observar novas tecnologias que estão surgindo e podem modificar a história do seu negocio.

A Blockbuster, empresa de aluguel de filmes, poderia ter criado alguma forma de concorrer com a Netflix.

Por não estar atenta ao mercado ou por acreditar que jamais alguém poderia ameaçar o seu “reinado” a Blockbuster acabou pedindo falência em 2011.

Isso ocorreu porque a empresa não percebeu a ameaça que a Netflix poderia representar.

4. Algumas dicas importantes

4.1. Se Preparando Para Guerra

Conhecer o inimigo, conhecer o campo de batalha, são algumas das orientações que analise SWOT nos mostra e isso claro nos remete a estratégias militares.

Podemos lembrar o famoso livro a “A Arte da Guerra” de Sun Tzu.  “Se você não conhece o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas”.

Esse é um dos princípios criados por Sun Tzu e pode ser usado tanto na vida pessoal como nos negócios.

Conhecer a si mesmo e aos inimigos faz parte do caminho para aqueles que buscam crescer. Ou que buscam simplesmente não serem derrotados.

Muitos têm o pensamento de não dar importância para a concorrência ou para os “inimigos”.

Mas analisando de forma racional, pense em duas empresas que vendem produtos parecidos para o mesmo público. Inevitavelmente essas duas empresas estarão disputando cada consumidor.

Se uma dessas empresas não estiver atenta às mudanças da concorrente pode não perceber um lançamento de um novo produto e acabar vendo seus lucros diminuírem drasticamente.

Para simplificar toda a questão: se você quer a paz se prepare para a guerra.

4.2. O Otimismo pode custar caro

Uma empresa quando está somente dentro da mente do empreendedor é aprova de falhas.

Por isso muitas vezes os planejamento acabam não sendo cumpridos porque não levaram em conta dificuldades e problemas que aparecem no caminho de qualquer empreendedor.

Com a Análise SWOT o empreendedor consegue ter um panorama muito mais claro sobre o que precisa ser feito, sobre qual rota traçar.

No entanto para a estratégia atingir o efeito esperado é preciso ser um pouco realista na hora de fazer o panorama atual.

O erro que faz muitos empresários “caírem do cavalo” é pensar que sua empresa está cheia de pontos fortes e deixar o quadro de pontos fracos vazios.

E a verdade é que por mais que um empreendimento esteja dando certo ele sempre terá alguns pontos em que pode evoluir.

Sempre haverá margem para aprimoramento e crescimento.

A prova mais clara disso é que as grandes empresas utilizam a Análise SWOT para se autoconhecerem.

Em grandes corporações é muito mais complicado fazer uma mudança, pois envolve uma série de fatores.

Já para o pequeno empresário muitas vezes um pequeno desvio de rota já trás grandes resultados.

Muitas vezes treinando um funcionário ou trocando um fornecedor ele já consegue ter um bom ganho em desempenho.

Quando sua empresa for muito grande e tiver muitos funcionários fazer mudanças será algo mais difícil e complexo, pois são muitos funcionários, departamentos e hierarquias.

4.3. Análise Imparcial

Não sei se você é apaixonado por futebol, mas caso você seja pode reparar que dificilmente você acredita que o seu time vai perder.

Por mais que logicamente as probabilidades possam apontar para o time adversário, sua sensação é que seu time vai ganhar a próxima partida.

O empreendedor pensa mais ou menos assim. Por natureza aquele que corre atrás dos seus sonhos geralmente possui bastante pensamento positivo e alto grau de autoconfiança.

E isso são atitudes positivas que um empresário deve ter pois estar a frente de um empreendimento demanda ousadia e perseverança.

Só que na hora de fazer a Análise SWOT é preciso de imparcialidade e deixar o otimismo de lado. Por isso é importante pedir opiniões externas.

Claro que é preciso salientar que as pessoas que você irá consultar precisam ter algum conhecimento sobre o seu negócio ou do seu mercado, do contrário essas opiniões não terão grande valia.

Por isso é importante que o empreendedor se cerque de pessoas com grande experiência e que muitas vezes já percorreram o caminho que ele está percorrendo.

4.4. Preenchi os quadrantes e agora?

Muita gente pensa que após os quadrantes estarem preenchidos o trabalho está feito. Só que se não colocadas em execução às mudanças selecionadas como necessárias na Analise SWOT não possuem grande serventia.

A Análise SWOT não é daqueles quadros que você faz uma vez e deu. É preciso à medida que você vai colocando em prática suas novas estratégias que as suas listas se modifiquem.

Porque a partir do momento que você executa certas mudanças na sua empresa os seus pontos fortes e fracos se alteram, além disso, o mercado está sempre em mudanças então é preciso estar sempre ligado nas alterações e inovações que os concorrentes estão fazendo para não ficar para trás.

Se você busca mudar o rumo do seu negócio ou então quer aumentar os seus resultados a matriz SWOT pode ser uma ótima ferramenta.

No entanto, para atingir os objetivos é preciso prestar atenção em dois aspectos: Se o levantamento foi adequado da situação atual da empresa e se as providencias tomadas são as mais eficientes.

Caso um desses fatores não esteja bem claro, a sua estratégia tende a falhar.